Contabilidade gerencial: a relação entre o target costing e o ponto de equilíbrio

6 minutos para ler

Aumentar o faturamento da empresa e reduzir os custos estão entre os seus objetivos? Saiba que a contabilidade gerencial pode ajudar você nesse processo. Acompanhe!

Foi-se o tempo em que as empresas eram as únicas responsáveis por estabelecer o preço que o consumidor ia pagar pelos seus produtos. Hoje, em razão da alta competitividade que marca o cenário empresarial, na maior parte do tempo é o mercado — seguindo a lei da oferta e da procura — quem dita as regras, inclusive no que diz respeito aos preços praticados.

Nesse contexto, se uma empresa necessita aumentar o seu faturamento, nem sempre elevar o valor dos produtos/serviços é o mais indicado. Devido à alta concorrência, essa prática pode implicar na perda de competitividade, reduzindo vendas e gerando um efeito totalmente contrário ao inicialmente desejado.

A solução, então, está na redução de custos do negócio, melhorando assim a sua margem de lucro. Porém, como sabemos, minimizar custos não é uma tarefa fácil. Esse processo exige uma série de análises e uma contabilidade gerencial precisa, na qual gerentes e líderes possam se apoiar na hora de alinhar indicadores importantes do negócio, como o target costing e o ponto de equilíbrio.

Continue com a leitura e entenda como esses dois indicadores podem melhorar a dinâmica operacional da sua empresa!

O que é target costing?

Antes de qualquer esclarecimento adicional, é preciso saber o que de fato significa target costing — ou custo-alvo, em português.

Sendo assim, podemos conceituar esse termo como um processo de planejamento dos custos e do lucro de uma empresa desenvolvido ainda na fase de projeto de um novo produto/serviço — ou mesmo na fase de reprojeto de um produto que já se encontra no mercado.

O custo-alvo é de suma relevância em contextos de alta competitividade, em que não se consegue estabelecer um preço final para o produto, visto que o mercado já o limitou em um certo patamar, tomando por base a concorrência e a demanda.

Nesse sentido, planejar o custo-alvo é uma maneira de a empresa verificar a viabilidade de oferecer um produto no mercado dentro das suas estimativas e necessidades de lucro. De forma simples, como não pode aumentar o preço final, resta à empresa planejar os custos de produção, buscando reduzi-los, e, assim, melhorar a sua margem de lucro.

O que é considerado na hora de definir o target costing?

Como está relacionado aos custos de um produto, diferentes variáveis podem ser determinantes para a definição do custo-alvo, como o porte da empresa e as características do produto.

No entanto, existem elementos que, em maior ou menor proporção, sempre acabam contribuindo para o estabelecimento do target costing. São eles:

  • objetivos almejados pela empresa: antes de avaliar os itens que interferem numericamente na formação do custo final de um produto, é preciso avaliar quais objetivos a empresa tem em relação à fixação do custo-alvo. Esse passo é importante porque o target costing pode mudar caso o objetivo seja aumentar os lucros ou apenas sobreviver no mercado;
  • custos com mão de obra: a participação do capital humano na produção pode ser um dos elementos que mais pesam no estabelecimento do custo-alvo, a depender do tipo de produto da sua empresa;
  • custos dos insumos: a fabricação de um produto, invariavelmente, depende da aquisição de matéria-prima e insumos para nutrir as etapas de produção. Desse modo, esse custo deve ser considerado no cálculo do target costing;
  • custos indiretos de transformação: é preciso considerar, ainda, custos com pagamento de tributos, despesas com as instalações da empresa, energia etc.

O que é o ponto de equilíbrio?

Mudando um pouco a abordagem, passamos a falar agora sobre o break even point, como é conhecido em inglês.

Powered by Rock Convert

De maneira simples e direta, o ponto de equilíbrio de um negócio é o valor exato em que as receitas e os custos totais se igualam, fazendo com que a empresa não apresente lucro e nem incorra em prejuízo.

Em outras palavras, é o quanto o negócio precisa faturar para que consiga, pelo menos, arcar como todos os seus custos fixos e variáveis, não gerando prejuízo.

Qual a importância do ponto de equilíbrio?

A relevância do break even está no seu potencial de mostrar ao gestor ou gerente do negócio qual o patamar mínimo de faturamento que a empresa precisa alcançar em um período para que não tenha prejuízo.

Com esse indicador, é possível dar um norte palpável para a empresa, que sabe a partir de quando o lucro sai da estaca zero e começa a gerar resultados positivos.

Qual a relação entre esses dois conceitos?

O break even point e o target costing tem uma relação muito próxima no que diz respeito aos resultados financeiros de uma empresa. Como ambos indicadores funcionam com base na análise de custos, tem-se a partir deles duas ferramentas estratégicas para monitorar esse quesito.

Nesse contexto, o custo-alvo, como vimos, é todo o planejamento sobre os custos que incidirão na fabricação de um produto ou na prestação de um serviço. A ideia, então, é trabalhar com custos reduzidos, permitindo ao negócio aumentar o seu lucro tornando a produção mais barata.

Por sua vez, o ponto de equilíbrio é a quantidade de receita necessária para cobrir os custos fixos e variáveis sem gerar prejuízo.

A partir disso, percebe-se que quanto menor e melhor for o target costing, menor será, também, o break even, bem como será mais fácil para o negócio custear suas despesas e auferir lucro em um determinado período.

Como a escrituração contábil auxilia a contabilidade gerencial?

Como vimos, tanto o ponto de equilíbrio quanto o custo-alvo são conceitos intrínsecos à contabilidade gerencial. Desse modo, a correta utilização desses indicadores depende, também, da mensuração adequada dos custos envolvidos nas operações da empresa em diferentes pontos.

Nesse contexto, a escrituração contábil é determinante para o sucesso da contabilidade gerencial, subsidiando a tomada de decisões com dados estratégicos da empresa relacionados à gestão financeira, fiscal, folha de pagamento e outras variáveis que interferem nos custos dos produtos e serviços disponibilizados.

Por fim, enquanto gestor de um negócio, é imprescindível que seu trabalho se apoie na contabilidade gerencial e, sobretudo, em uma boa escrituração contábil. Assim, certamente terá o suporte informativo de que precisa para utilizar indicadores de maneira mais precisa e estratégica.

Gostou deste post? Quer saber como melhorar a escrituração contábil da sua empresa? Então leia também nosso post sobre outsourcing de contabilidade e descubra como essa prática pode ajudar você!

Posts relacionados

Deixe um comentário