Você conhece o Open Banking? Confira as principais informações!

7 minutos para ler

Já ouviu falar em Open Banking? Ele pode ser chamado também de Sistema financeiro aberto. É um programa novo criado pelo Banco Central do Brasil. A intenção é que os usuários tenham mais autonomia e disponibilidade de produtos e serviços, para ter melhor vida financeira.

A finalidade é que o cliente tenha maior controle sobre seus dados e livre arbítrio diante de instituições que propuserem ofertas mais vantajosas para suas transações bancárias e pacote de serviços compatíveis com o seu perfil.

Quer saber mais sobre essa novidade no mundo das finanças? Então continue lendo este artigo que Vanessa Vale, Diretora da IRKO compartilha conosco!

Como o Open Banking está funcionando?

Agora que todas as etapas estão em funcionamento conforme foi planejado, a tendência é avançar gradativamente, com a proposta de ampliar a execução de melhorias e a parte transacional.

Neste ano, o intuito é de que aconteçam muito mais opções de sistema de pagamentos pelo Open Banking. No que se refere ao (ITP) Iniciador de Transação de pagamento. O Banco Central já elaborou um cronograma para 2022, bem definido, com o objetivo de potencializar as atividades: 

  • em 15 de fevereiro teve início a transferência direta de pagamentos por meio da função TED, e foi possível fazer transferência entre contas;
  • dia 30 de junho será liberado o pagamento por meio de boletos;
  • em 30 de setembro deverá iniciar pagamentos com débito em conta;
  • já em 30 de março, possivelmente irá acontecer a proposta de encaminhamento de crédito, que é um serviço muito aguardado pelos usuários.

Então, somente no dia 31 do mês de maio é que o Open Finance causará maior impacto no mercado. É nessa data que se tornará possível adquirir os dados transacionais dos inúmeros serviços que envolvem o sistema, mediante prévia autorização do consumidor. Isso significa que, ainda no primeiro semestre, a integração dos dados deverá ser sentida na prática.

Como a implementação foi feita?

No dia primeiro de fevereiro deste ano, 2022, o Open Banking completou um ano no Brasil. O processo de implementação foi de responsabilidade do Banco Central do Brasil, o qual decidiu que fosse realizada em 4 etapas.

Etapa 1: o processo iniciou no dia 01/02/2021. Foi o momento de decidir os serviços que as instituições iriam oferecer e a disponibilidade, ao público, das informações padronizadas dos diversos bancos participantes, a apresentação dos seus canais de atendimento e a característica dos produtos e serviços.

Etapa 2: teve início no dia 13/08/2021, nesse período foi introduzido o compartilhamento das informações. Desde essa fase os clientes já podem receber ofertas compatíveis com o seu perfil, taxas mais acessíveis, histórico financeiro e, até mesmo, serviços personalizados.

Etapa 3: essa etapa iniciou em 29 de outubro de 2021. O Open Banking teve o primeiro contato com o Pix. Ocorreu também o começo do Iniciador de Transação de Pagamento (ITP) e proposta de crédito foi encaminhada.

Etapa 4: a finalização do processo iniciou em 15 de dezembro de 2021, quando ocorreu a transição do Open Banking para o Open Finance. Esse período deu início ao sistema de compartilhamento de dados, históricos e as informações saíram do poder bancário e passaram a ser validados para o funcionamento da configuração de finanças pessoais, investimento, câmbio,seguro e outros serviços.

Quais os principais desafios?

O Open Banking é um grande desafio para todas as empresas que aderirem a essa nova modalidade de ofertar serviços financeiros, pois a competição será para atrair e conquistar os clientes com serviços e produtos diferenciados e com taxas menores, para chamar a atenção e fidelizá-los. Pois agora já não é garantia de que o cliente aceitará todos os serviços no mesmo banco.

Para que as instituições continuem com o mesmo fluxo de clientes e que fiquem satisfeitos com as suas ofertas, esse novo serviço instiga os bancos a serem mais criativos com o que oferecem aos seus usuários.

Outra incitação é os bancos estarem fortalecidos diante dos concorrentes para beneficiarem os seus consumidores, por terem uma diversidade de opções no mercado.

O que muda com essa implementação?

A mudança veio para aumentar o poder de o cliente controlar o compartilhamento dos seus dados e a possibilidade de obter conta, serviços e produtos em diversas instituições financeiras.  

Devido a facilidade de compartilhar os seus dados, o usuário pode encaminhar as suas informações para diversos bancos, com o objetivo de analisar a sua história para se beneficiar de diversos serviços. Por exemplo, ao desejar fazer um empréstimo, a pessoa pode avaliar os juros, o número de parcelas e o referido valor simultaneamente em várias instituições em que possui conta bancária. 

Lembrando que essa análise é feita segundo o histórico bancário do cliente, ou seja, a vida pregressa nas outras instituições bancárias que se relacionou. E mais, agora o usuário pode optar por ter serviços em instituições diferentes. Isso quer dizer que o consumidor pode receber seus proventos no banco A, ter o cartão de crédito no banco B ( que não cobra anuidade), fazer empréstimo no banco C (que a taxa de juros e o valor das parcelas são menores) e muitas outras mudanças favoráveis aos clientes.

Quais as suas vantagens?

Ao ter a possibilidade de se fazer conhecer por diversas instituições bancárias por meio do compartilhamento de dados e de toda a vida bancária, o cliente tem a possibilidade de ter os mesmos benefícios, já conquistados no outro banco. Isso é favorável para quem tem contas bancárias em mais de uma entidade financeira.

Outra vantagem ao aderir ao Open Banking é adquirir a solução “agregador financeiro”. É uma função que permite consultar extrato e saldo de contas em bancos diferentes no mesmo aplicativo.

O Open Banking, já é uma realidade no Reino Unido e Singapura (2018), Austrália (2019) e no Brasil desde 2021. No Brasil está sendo chamado, também, de Open Finance. Esse tipo de sistema financeiro já é considerado uma tendência mundial, por ser um recurso seguro e altamente confiável. Sendo que cada país cria seu sistema conforme suas necessidades.

Gostou do artigo? O que achou desse novo sistema financeiro? Você pode deixar seu comentário a respeito do assunto e, até mesmo, alguma contribuição sobre o tema, para que possamos ficar mais informados.

Como é o Open Banking hoje?

Atualmente, uma instituição financeira não “enxerga” o relacionamento do cliente com o concorrente, então tem dificuldade de competir por ele com melhores serviços sem que o cliente comunique.

 Com Open Banking

Com a permissão de cada correntista, as instituições financeiras se conectam diretamente às plataformas de outras instituições participantes e acessam os dados autorizados pelos clientes. Todo esse processo é realizado em um ambiente seguro e a permissão poderá ser revogada pelo cliente a qualquer momento.

 Sobre a IRKO

Com quase 65 anos de atividades no mercado brasileiro, a IRKO atua junto a empresas nacionais e multinacionais de diferentes portes e segmentos. Contamos com aproximadamente 400 colaboradores em nossas diversas operações e empresas, atendendo mais de 600 clientes.

Nossas operações em São Paulo, Campinas e Rio de Janeiro oferecem um leque de serviços em Outsourcing e nossa empresa IRKO Hirashima, com sede em São Paulo, oferece serviços em Consultoria e Auditoria. O Grupo Irko é associado da SMSLatinoamérica, rede credenciada junto ao Fórum das firmas do IFAC.

Posts relacionados

Deixe um comentário