Os anos de experiência e a produtividade são essenciais para que qualquer profissional consiga encarar novos desafios na carreira. No setor contábil não é diferente, tendo em vista que o contador exerce uma importante função: otimizar diversos negócios. Nesse sentido, empreendedorismo e contabilidade estão bastante associados.

Como esse é um tema de enorme relevância para o segmento, elaboramos este artigo para tratá-lo com maior profundidade. Durante a leitura, você entenderá como essas duas áreas trabalham bem juntas. Aproveite o conteúdo!

A relação entre empreendedorismo e contabilidade

Para exemplificar, podemos perceber essa união como uma conexão direta e indissociável. É quase como se houvesse um cordão umbilical conectando ambos, porque um depende do outro, basicamente.

Afinal, para que alguém consiga empreender em nosso país, isto é, abrir uma empresa, é preciso lidar com várias questões burocráticas. Em termos bem resumidos, elas envolvem todo o processo de abertura, além de inúmeros aspectos fiscais que existem no Brasil — o apoio de um contador para atender essas demandas é fundamental.

É o contabilista que vai auxiliar o empreendedor a definir e seguir os primeiros passos. A relação entre eles, em algumas das vezes, nasce logo antes do empreendimento sair do papel — procedimento ideal para que a empresa esteja em conformidade com uma série de obrigações. Em outras ocasiões, no entanto, a parceria se solidifica com o passar dos anos, apenas.

A importância da junção das áreas

Em tese, para abrir uma empresa, o empreendedor deve ter um plano de negócios definido. Essa avaliação leva em conta:

  • qual o produto e/ou serviço será oferecido;
  • quais serão as características da organização;
  • se existe mercado e como ele funciona;
  • se o negócio é viável do ponto de vista financeiro.

Dentro desse planejamento, a parte das finanças desempenha um papel prioritário, pois os erros em relação a ela podem ocasionar complicações incontornáveis e prejudicar o andamento da organização.

É claro que há uma expectativa enorme sobre o resultado para o negócio que está em formação: geralmente, os empreendedores ficam em dúvida se venderão o esperado, se atingirão determinada meta em até 6 meses etc.

Contudo, existe todo um arcabouço contábil e fiscal que funciona como base para que a organização se desenvolva e se aproxime da performance estabelecida no planejamento. Evidentemente, sem o apoio de alguém que domine o assunto — contadores, no caso —, fica mais difícil resolver esse tipo de pendência.

Por mais dedicados e atentos que os gestores sejam, o preenchimento de certos requisitos pode ser incompleto. Inclusive, é possível que alguns detalhes legais de suma importância fiquem de lado, o que muitas vezes pode até levar à inviabilização do próprio negócio.

As duas áreas caminhando juntas na prática

Antes de tudo, o empreendedor deve enxergar o contador como alguém que vai ajudá-lo em seus primeiros passos e não só no planejamento. Como será necessário seguir adiante no processo de investir ou montar um negócio, é mais do que interessante ter esse suporte à disposição. Na sequência, é preciso lidar com todas as exigências burocráticas em torno da abertura da empresa.

Aliás, os procedimentos para se abrir uma organização empresarial no Brasil são complexos e, na visão de alguns especialistas, demorados. Nessas situações, o serviço de um contador é indispensável — ou por necessidade, ou por obrigatoriedade. As organizações precisam de um trabalho altamente especializado, que seja capaz de informá-las sobre as regras vigentes.

Se tem o plano de empreender, acredite: uma assessoria contábil pode fazer muito por você! No próximo tópico, mostraremos como os contadores são peças centrais para otimizar o funcionamento de um negócio.

O contador como pivô da otimização

Fazer a abertura da empresa e definir o melhor regime tributário — lucro real, presumido ou simples —, dependendo do porte e das características, são apenas alguns dos exemplos mais nítidos de como a contabilidade auxilia a otimizar uma empresa.

Podemos enxergar o contador como o pivô dessas atividades, pois é ele quem está apto a fazê-las com perícia. Isso porque quem tem ótimas noções de empreendedorismo não necessariamente reúne conhecimento em relação aos fazeres contábeis, como tecnologias, tributações, leis e afins.

Há, ainda, todas as obrigações que assessoram. Elas são, na atualidade, totalmente eletrônicas, mas têm complexidade e precisam de alguém com competência técnica para lidar com todos os detalhes, que são inúmeros.

É válido lembrar que obrigações abrangem vários impostos: federais, estaduais e municipais. Portanto, dependendo do tipo de negócio, não basta pagar os tributos, também é obrigatório passar as informações da empresa para o governo.

Na relação entre contabilidade e empreendedorismo, as partes envolvidas devem se enxergar como parceiras. A seguir, explicaremos quais são as vantagens que a parceria traz para o empreendimento.

Os benefícios para a empresa

Para entender melhor como esses benefícios se manifestam na prática, podemos imaginar o ato de conduzir uma empresa como dirigir um veículo até um determinado local.

Antes mesmo de entrar no carro, você precisa saber aonde vai chegar. Porém, para alcançar o seu destino, vale a pena acompanhar o painel do carro e ficar de olho em informações fundamentais, como o volume de combustível, a velocidade, a temperatura do motor, óleo etc. A partir disso, há como tomar certas decisões: parar para abastecer ou não, acelerar mais, conferir os pneus etc.

Para resumir a história, devemos enxergar a gestão contábil como esse painel. Afinal, ela é capaz de indicar dados e índices relativos a questões financeiras e à contabilidade propriamente dita. É ela que demonstra se os gestores precisam mudar alguma decisão, rever alguma política interna, repensar o enquadramento tributário e assim por diante.

A partir dessas noções, a organização poderá reduzir custos, otimizar uma série de processos e, é claro, atingir resultados mais satisfatórios. Não é por acaso que grandes empresas usam informações contábeis como base para elaborar relatórios gerenciais, análises de desempenho etc.

Enfim, empreendedorismo e contabilidade precisam andar lado a lado. O trabalho exercido por contadores pode contribuir de inúmeras formas para otimizar um negócio e torná-lo assertivo.

Se você gostou do texto, aproveite para assinar nossa newsletter gratuita e receba conteúdos exclusivos diretamente em seu e-mail!