IFRS: entenda o que são as Normas Internacionais de Contabilidade

9 minutes to read

A área contábil reserva informações muito importantes sobre as empresas. Para isso, ela precisa respeitar os princípios e leis de cada país, o que poderia gerar falta de comparabilidade sobre os impactos de transações similares entre diferentes países, se não fosse pelas Normas Internacionais de Contabilidade.

Com a globalização, a comercialização e os investimentos entre diferentes países ficaram muito mais fáceis. É por esse motivo que as empresas precisam aproveitar essa oportunidade para crescer e se desenvolver, permanecendo atualizadas com as regras contábeis que norteiam essas transações.

Ter as demonstrações e os resultados contábeis apresentados de uma forma que diversas nações entendam é primordial. Com isso, sua empresa pode atravessar fronteiras e alcançar negócios cada vez mais atrativos. Quer saber sobre o assunto? Então, fique conosco!

O que são as Normas Internacionais de Contabilidade?

Se fosse preciso reunir cinco ou seis pessoas de países diferentes para negociar, certamente cada uma delas falaria um idioma diferente e seria praticamente impossível que todos se entendessem. No entanto, se todas elas falassem inglês, por exemplo, tudo ficaria mais fácil.

No mundo empresarial, isso é o que acontece com a contabilidade. Se cada empresa seguir as normas contábeis do seu país, não existirá um padrão para as demonstrações contábeis, consequentemente, estas informações não serão comparáveis. No entanto, se forem aplicadas as mesmas normas contábeis nos diferentes países, , a compreensão das informações fluirá de forma natural.

Esse é o papel das Normas Internacionais de Contabilidade, conceito que foi expandido para Normas Internacionais de Relatório Financeiro. Elas atuam como um padrão de normas aceitas em mais de 120 países e servem justamente para facilitar a comparabilidade das informações entre empresas de diferentes países.

Em inglês, estas normas  são conhecidas como IFRS — International Financial Reporting Standards, as quais são emitidas pelo IASB – International Accounting Standards Board, órgão criado em 2001 que sucedeu ao IASC – International Accounting Standards Committee.

As Normas Internacionais de Contabilidade vigentes que foram emitidas antes de 2004, são denominadas IAS – International Accounting Standards. As Normas Internacionais de Relatório Financeiro emitidas a partir de 2004 são denominadas IFRS. Aos poucos, as IAS vem sendo revisadas e substituídas pelas IFRS.

São as normas contábeis que definem os critérios de mensuração e as formas de registrar e classificar os eventos econômicos e financeiros que ocorrem nas empresas, assim como apresentam os requisitos mínimos de divulgação para a compreensão destes eventos e seus impactos sobre a posição patrimonial e financeira das empresas, assim como o desempenho das operações e dos fluxos de caixa.

No Brasil, as normas contábeis são elaboradas a partir das Normas Internacionais de Relatório Financeiro e aprovadas pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC), o qual recomenda que estes Pronunciamentos Técnicos sejam referendados pelas entidades reguladoras brasileiras, tais como o CFC e a CVM.

Atualmente, estão vigentes  32 Normas Internacionais de Relatório Financeiro, entre IFRS e IAS, que abordam itens como:

  • o pagamento baseado em ações;
  • a aquisição e controle de organizações;
  • a contabilização de valores de exploração e avaliação de recursos minerais;
  • a classificação, contabilização e a apresentação dos instrumentos financeiros;
  • Contratos de seguro (vigente a partir de 1º de janeiro de 2021);
  • as diretrizes para elaborar e apresentar as demonstrações.

Além das normas, existem ainda orientações e interpretações técnicas sobre algumas normas.


Veja o vídeo: O que é IFRS ? – Sua evolução e relação com os grandes eventos econômicos das últimas 5 décadas


Qual a importância das IFRS para as empresas?

É necessário ampliar ainda mais o conhecimento sobre as Normas Internacionais de Relatório Financeiro e entender a importância do alinhamento dessas normas entre os países. Essas determinações provocam diversos impactos nos demonstrativos contábeis e nas análises que são realizadas pelas empresas.

O Brasil é um país que atrai muito interesse de investidores estrangeiros. Para analisar a situação financeira das empresas, que são foco desse interesse, são utilizadas as demonstrações contábeis. Logo, para que as operações, os processos e as informações contábeis sejam compreendidas, é preciso utilizar uma única linguagem nacional e internacionalmente.

Para isso, as empresas devem se preparar para adaptar seus processos internos e os sistemas operacionais, pois, assim, fica mais fácil e simples atuar no dia a dia de acordo com as normas vigentes. Para estabelecer uma vantagem competitiva real, é preciso dominar esses assuntos contemporâneos da contabilidade. Isso ajudará a alcançar o sucesso empresarial e das negociações internacionais.

Quais as vantagens que as Normas Internacionais oferecem?

Seguir as Normas Internacionais de Contabilidade é algo essencial para aquelas empresas que visam a transparência corporativa, a divulgação e a adequação à contabilidade internacional. Isso facilita a compreensão das exigências feitas pelos investidores, pelo mercado e demais interessados fora do país.

Isso tudo ajuda na avaliação do desempenho empresarial a nível internacional e, é claro, na análise comparativa feita tanto por empresas brasileiras quanto estrangeiras sempre que quiserem entender quais são os melhores desempenhos financeiros e os negócios mais atrativos para investir.

Na prática, as empresas brasileiras que adotam as normas emitidas pelo CPC, seja para as empresas listadas ou de grande porte, ou a norma do CPC para empresas de pequeno e médio portes, denominada CPC PME, já estão de acordo com as normas internacionais.

A linguagem contábil internacional

A utilização das Normas Internacionais de Relatório Financeiro torna os relatórios contábeis legíveis para empresas de quaisquer países. Isso facilita as análises tanto de dentro quanto de fora do país e aumenta as chances de negócios ao redor do mundo.

Como você viu, seguir as IFRSs é como adotar uma linguagem universal da contabilidade, em que empresas de todas as partes do mundo consigam olhar um relatório e compreender, com base nele, se investir em um negócio é vantajoso ou não.

Uma vez que o Brasil já está surfando nesta onda, apenas três passos são recomendados para que as demonstrações contábeis de uma empresa brasileira possam ser acessadas e compreendidas por qualquer investidor no mundo:

Passo 1: afirmar explicitamente, nas notas explicativas das demonstrações contábeis que já estão em conformidade com estes pronunciamentos, que as demonstrações contábeis foram elaboradas de acordo com as Normas Internacionais de Relatório Financeiro.

Passo 2: traduzir as demonstrações contábeis para uma língua internacional, como o inglês, e

Passo 3: adotar uma moeda de relatório que tenha referência internacional, como o dólar, por exemplo, considerando a Norma Internacional de Relatório Financeiro específica que orienta sobre como a conversão de Reais para dólar, ou outra moeda, deve ser efetuada.

Atende às exigências de investidores estrangeiros

Investidores estrangeiros têm suas próprias exigências quando avaliam um potencial objetivo. Por isso, eles precisam conseguir avaliar de forma integral a situação da empresa na qual pretendem aplicar seus recursos.

Sem a adoção das Normas Internacionais de Relatório Financeiro, pode ser difícil identificar os critérios a serem avaliados, além da falta de comparabilidade dos números em relação a outras empresas de países diferentes. Por outro lado, quando se padronizam as informações, esse desafio é superado.

Facilita a avaliação do desempenho da empresa em nível global

A adoção das IFRS acaba igualando o Brasil a outras economias mundiais no que diz respeito à análise de investidores. Isso acaba tornando o país muito mais atrativo para quem deseja aplicar recursos em empreendimentos brasileiros, já que as análises poderão ser feitas de forma imediata.

Outra vantagem interessante é que esses princípios acabam proporcionando mais transparência e segurança na interpretação dos dados que são apresentados. Logo, elas acabam funcionando como uma ferramenta que beneficia a tomada de decisão de um potencial investidor e as chances de captação de recursos novos para a empresa.

Viabiliza o empréstimo com base nas demonstrações contábeis

Já imaginou se a sua empresa não precisasse ficar restrita aos empréstimos nacionais? O processo de internacionalização proporcionado pelas Normas Internacionais de Relatório Financeiro amplia as oportunidades de empréstimos, a partir da análise das demonstrações contábeis.

Assim, sua empresa pode receber investimentos de diversos países, captando recursos de bancos internacionais e alavancando seu crescimento.

Com tantas vantagens e benefícios, não há porque não adotar as Normas Internacionais de Relatório Financeiro na sua empresa. Elas ampliam as possibilidades de negócios, tornam a contabilidade ainda mais transparente e melhoram a participação da empresa no mercado mundial.

Para isso, é altamente indicado contar com a ajuda de empresas e profissionais especializados, atualizados e que dominam o assunto, a fim de confirmar se, efetivamente, todas as norma aplicáveis e divulgações requeridas foram efetuadas adequadamente, uma vez que há áreas em que a interpretação da aplicação de certas normas ou operações mais complexas podem requerer um segundo olhar .

Agora, que tal continuar ampliando os seus conhecimentos e conhecer um pouco melhor as Normas Internacionais de Relatório Financeiro? Comece explorando os Instrumentos Financeiros e tudo o que você pode saber sobre eles!

Posts relacionados

Deixe um comentário