Futuro da contabilidade: conheça 5 desafios e saiba como vencê-los

6 minutes to read

Nos últimos anos, os avanços tecnológicos e científicos causaram mudanças sensíveis no mercado, especialmente com a transformação digital. Assim, diversas áreas precisam refletir sobre o impacto das mudanças e sobre como superar os novos desafios — e isso também acontece com o futuro da Contabilidade. 

Os contadores são cada vez mais demandados por competências digitais. Igualmente, o papel do profissional está mais estratégico, no sentido de serem exigidas soluções concretas para o negócio, que levem à redução de custos, otimizem receitas, indiquem o caminho para superar uma crise etc. 

Neste artigo, abordamos 5 desafios do futuro da Contabilidade. Além disso, oferecemos estratégias para que os profissionais consigam lidar com a realidade que está por vir e sejam mais eficazes no trabalho que realizam. Não deixe de conferir! 

Desafios do futuro da Contabilidade para profissionais e empresas 

Embora a legislação continue bastante complexa e burocrática, houve melhorias em relação à execução das atividades. Isso porque, nos últimos anos, os contadores receberam softwares mais robustos para lidar com o volume de informações do setor e automatizar processos e tarefas. 

Nesse sentido, agora os profissionais encontram mais espaço para investir em produtividade e em fornecer dados concretos para auxiliar a gestão. O setor se tornou mais consultivo, ganhando um caráter mais estratégico. A partir de então, surgem os desafios para empresas e profissionais. Confira alguns deles:

1. Usar a tecnologia para otimizar processos e tarefas 

Em primeiro lugar, as competências digitais — relacionadas ao uso da tecnologia da informação — tornaram-se essenciais para que o setor dê mais competitividade às organizações. Assim, tanto as empresas como os profissionais iniciaram a busca por esse conhecimento. 

O desafio, portanto, é como promover a automação e, simultaneamente, preparar os profissionais para uma atuação integrada aos softwares. No nível individual, a solução passa pela qualificação profissional contínua; no empresarial, pelo aumento do capital intelectual. 

2. Promover a capacitação contínua dos profissionais 

A qualificação sempre foi mais bem executada como um processo cíclico. O desempenho é avaliado e, a partir das dificuldades encontradas, são elaborados treinamentos, repetindo-se o processo periodicamente. Ademais, ao lado da capacitação para a função, existem os planos de desenvolvimento, ou seja, que visam a preparação profissional de longo prazo. 

O problema é que, como hoje as mudanças são mais rápidas, existe a demanda por repetir o processo de avaliação e treinamento em ciclos mais curtos. Isto é, no futuro da Contabilidade, precisamos responder rapidamente as novas ferramentas, normas e métodos de trabalho, com qualificação profissional. 

Um exemplo é o eSocial, que tem a missão de simplificar e unificar o cumprimento de obrigações tributárias. De 2015 para cá, o sistema teve um longo caminho até a implementação. Em cada fase, foram incluídas novas categorias, bem como empregadores obrigados a usar o sistema. Atualmente, já existe a previsão de dividi-lo em dois: uma plataforma fiscal e outra previdenciária. 

Percebe-se, com isso, que não dá para preparar para o que há hoje e esperar que o conhecimento seja válido por um período indeterminado. A preparação precisa acompanhar o ritmo em que as transformações acontecem para que os profissionais e as empresas não fiquem defasados nem percam competitividade. 

3. Aumentar o capital intelectual 

O capital intelectual abrange o conhecimento e informação da empresa, tanto em relação às competências dos colaboradores quanto aos aspectos estruturais, como processos, métodos de trabalho e tecnologia empregada. Logo, é outro aspecto que precisa ser aprimorado para lidar com os desafios do futuro da Contabilidade. 

Os treinamentos em ciclos mais curtos acompanhando as mudanças também contribuem para esse crescimento da empresa, porque o capital humano — conjunto de conhecimentos, habilidades e atitudes dos colaboradores — integra o intelectual. No entanto, não se deve descuidar dos aspectos estruturais. 

Nesse segundo ponto, é fundamental contar com o apoio de especialistas para tomar decisões e planejar o setor contábil da empresa. A escolha dos softwares, o desenho dos processos, o organograma, o conhecimento da legislação e demais pontos da Contabilidade terão impacto nos resultados. Nesse caso, a aquisição de know-how é fundamental para ser eficiente. 

4. Oferecer mais exatidão nas informações trabalhadas 

A automação dos processos equilibra um pouco mais a balança entre cumprir obrigações legais e fornecer informações para gestão. Isto é, balanços patrimoniais, demonstrativos de resultado do exercício e demais documentos contábeis podem esclarecer pontos-chave para a tomada de decisões.

A consequência é a exigência de informações mais exatas. Os documentos não podem ser vistos como meras formalidades, tampouco como uma forma de tornar o cenário mais positivo. É preciso que as informações expressem a realidade da empresa: resultados, endividamento, risco, fluxo de caixa etc. 

Outras tendências, como transparência e compliance, reforçam a necessidade de informações mais exatas. Afinal, as atividades de avaliação, controle, revisão e auditoria usam os documentos da área, de modo que a qualidade das informações é fundamental para ter credibilidade. 

5. Comunicação ágil 

O desempenho também deve prezar pela agilidade no tráfego das informações. Quanto mais rápido o contador for capaz de esclarecer o cenário ao gestor, mais rapidamente esse profissional poderá ajustar a estratégia da empresa, lidando com ameaças e aproveitando oportunidades. 

Em grande parte, essa comunicação depende do uso da tecnologia na Contabilidade. O ideal é que a automação chegue ao ponto de ser possível acompanhar a situação em tempo real, especialmente com os indicadores-chave de desempenho.

Como um outsourcing pode ajudar sua empresa a vencê-los 

O crescimento do capital intelectual é o fiel da balança: o preparo estrutural e pessoal da empresa para se ajustar às mudanças e manter-se em contínua adaptação. Por isso, o outsourcing é a melhor estratégia para alcançar o nível de desenvolvimento necessário para ser competitivo diante dos desafios do futuro da Contabilidade. 

Ao terceirizar atividades contábeis e fiscais para um parceiro que já tenha os conhecimentos de tecnologia, gestão de pessoas, direito, processos contábeis etc., a empresa antecipa anos de aprendizado, alcançando padrões de excelência mais rapidamente.

Além disso, uma organização externa, que tem o assunto como core business, naturalmente dará mais atenção às tendências da Contabilidade, acompanhando as mudanças. Até porque, haverá a necessidade de prestar contas sobre os resultados para os parceiros. 

Sendo assim, para lidar com o futuro da Contabilidade e ter o setor como uma vantagem estratégica, o outsourcing é a solução mais eficiente, especialmente pela capacidade de fornecer um rápido retorno de capital intelectual e de garantir que a organização acompanhe as mudanças. 

Para entender os benefícios da terceirização mais a fundo, acesse o conteúdo “Como o outsourcing de Contabilidade pode ajudar no crescimento da sua empresa” e tire as suas dúvidas! 

Posts relacionados

Deixe um comentário